Atualidade | 04/05/2017
Caos na Odebrecht impossibilita intensificação de obras em Redenção
A Odebrecht reconheceu as falhas e se comprometeu em fazer novos investimentos
Na manhã da última sexta-feira (28) foi realizada na Câmara Municipal de Redenção, reunião com os administradores da Odebrecht (José Emanoel, engenheiro e André Luiz, gerente).
Na ocasião o engenheiro José Emanoel, fez um breve relato do início dos trabalhos da empresa em Redenção (janeiro de 2013), informando que a Odebrecht pegou um sistema sucateado; que o índice de atendimento era de 19%; que a água fornecida anteriormente não passava por nenhum tratamento; que o município contava com apenas 80 mil metros de rede, e que diante do estado precário da rede existente foi necessário substituir cerca de 50% dela.
Com isso, após a realização de estudos no município, foi implantado o processo de tratamento e aba
Em muitos setores a falta d’água é constante
stecimento de água, saindo do índice de 19% para 45% de atendimento até a data de hoje (abril de 2017). O engenheiro representante da empresa Odebrecht, informou ainda, que esse índice de 45% só não é maior devido às residências que possuem sistemas próprios de abastecimento (poço artesiano), já que o índice de cobertura atual é de 65%.
Atualmente Redenção conta com 37 profundos poços artesianos. Sendo que o maior fator provocador de falta d’água nas residências são as frequentes quedas de energia elétrica. Segundo Emanoel, com a queda de energia o disjuntor desarma automaticamente e interrompe o bombeamento da água. De forma que somente tomam conhecimento da interrupção no fornecimento após informações de clientes prestadas através da central 0800. Com isso, acaba acarretando um desequilíbrio no sistema, já que leva cerca de 8 horas para o reservatório encher novamente.
A companhia frisou ainda, que não tem capacidade de manter um eletrotécnico em cada poço.
META: Diante do atual cenário vivenciado pela Odebrecht, acabou ficando prejudicada a possibilidade de concessão de financiamento em nome da empresa. Encontrando-se, portanto, impossibilitada de intensificar e dar uma maior celeridade nas obras do município. No entanto, apesar das dificuldades enfrentadas, se comprometeu em investir aproximadamente R$ 50 milhões e alcançar o índice de 90% de atendimento até setembro de 2017, conforme previsão contratual.
(Roni Maia)
Deixe Aqui Seu Comentario

Nome :

Email :

Captcha

Comentario :

Aviso Importante: Os comentários publicados não refletem a opinião deste site. Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade dos seus autores. Não serão publicados comentários totalmente em letras maiúsculas (caixa alta). O site reserva-se o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional também serão excluídos.

sites / blogs