| 19/05/2016
NOTICIANDO 670
NVESTIMENTO
Essa semana aconteceu uma reunião entre representantes da empresa NOMA, líder em movimentação de carga graneleira, e o prefeito Carlo Iavé. A empresa acredita no desenvolvimento da região pelo plantio de soja e decidiram instalar um filial da empresa em Redenção. Para o prefeito a meta é trazer empresas e gerar novos empregos em Redenção. “É muito importante trazer novas empresas e investidores para o município, pois acreditamos no desenvolvimento de nossa região”, afirmou Iavé.

SEM CHANCE
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), revelou a aliados próximos que não acredita nas chances de a presidente afastada Dilma Rousseff retomar ao cargo. Para o presidente da Casa, mesmo que o presidente interino Michel Temer faça um governo “tortuoso”, a petista não conseguiria se reerguer. De acordo com o jornal ‘Folha de S. Paulo’, Renan Calheiros foi considerado como o “último bastião” do governo Dilma e só se afastou da presidente nos últimos minutos antes do afastamento.

RENÚNCIA
Dilma Rousseff pretende repetir o gesto do ex-presidente Fernando Collor e renunciar antes de o Senado iniciar seu julgamento. Alta fonte petista diz que a renúncia passou a ser considerada após a aprovação da admissibilidade do impeachment no Senado por 55x22 votos. Para condená-la, 54 votos bastam. A ideia seria fazer o caminho do ídolo Leonel Brizola, disputando o governo gaúcho ou o do Rio de Janeiro. A informação é do colunista Claudio Humberto, do Diário do Poder.

INELEGÍVEL
Confirmada a fortíssima possibilidade de impeachment, Dilma ficará inelegível por oito anos. A renúncia preservaria sua elegibilidade. Dilma manterá estratégia de se vitimizar, repetindo à exaustão a lorota de “golpe” e mantendo mobilizada o que imagina ser sua militância. A prioridade de Dilma seria disputar o governo do Rio Grande do Sul, onde se radicou. E foi até secretária estadual.

FALHOU
No caso de Collor não deu certo: na ocasião, o Senado ignorou a renúncia e decidiu manter o julgamento, aprovando o impeachment.

PRONUNCIAMENTO
Michel Temer disse aos senadores com quem manteve uma reunião, nesta manhã, que fará um pronunciamento à nação na cadeia de rádio e TV. Apesar de não ter fixado uma data, disse que o mesmo será realizado nos próximos dias. Na ocasião, vai falar sobre as primeiras medidas de seu governo, sobre economia de recursos e combate à inflação.

CAMPANHA
Acabou, enfim, o suspeito esquema de financiamento de campanha política por empresas. Agora, só quem pode fazer doação eleitoral são as pessoas físicas, os eleitores, mas todos os políticos das antigas dizem nos bastidores que esta será a eleição com o maior volume de caixa dois da história política do País. Pode ser, mas a sociedade deve ficar de olhos abertos.

ENTREGOU
Na quarta-feira (18), o reitor da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, Maurílio Monteiro, entregou ao Conselho Universitário sua carta de renúncia. A reunião extraordinária do Consun foi convocada pelo próprio Maurílio, ao decidir-se pela renúncia – no rastro dos últimos acontecimentos políticos do país que culminaram com o afastamento da Dilma Roussef da presidência da República.

CONTA
Alguma coisa acontece com as contas de energia elétrica. A maioria delas chega depois da data do vencimento e muita gente deixou de receber o boleto. Quando vai à empresa, o consumidor se depara com uma fila de centenas de pessoas e um terminal de autoatendimento que não funciona. O atraso no pagamento, por outro lado, aumento o lucro da concessionária, que cobra multa de contas vencidas e taxa de religação em caso de corte.

CRÍTICAS
No primeiro encontro após o afastamento de Dilma Rousseff da Presidência da República, o Diretório Nacional do PT divulgou uma resolução em que faz críticas ao partido e ao governo de Dilma. Apesar de afirmar que o processo de impeachment é um “golpe sem base legal”, documento diz que é preciso avaliar “de forma autocrítica, os erros cometidos” pelo partido e pelos governos petistas.

JULGAMENTO
O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou para julgamento o mandado de segurança que pede a abertura de um processo de impeachment na Câmara contra o então vice-presidente e atual presidente da República em exercício, Michel Temer. Agora caberá ao presidente do Tribunal, Ricardo Lewandowski, definir a data para inclusão do caso na pauta do plenário.

ESPIONAGEM
A segurança do Supremo Tribunal Federal (STF) identificou uma escuta no gabinete do ministro Luís Roberto Barroso. O equipamento estava desativado e foi encontrado há cerca de duas semanas, durante uma varredura de rotina nos gabinetes dos togados. O dispositivo estava instalado em uma caixa de tomada embutida no chão, logo abaixo da mesa do ministro.

Paulo Carrion
Veja Colunas Anteriores

NOTICIANDO 616
NOTICIANDO 214
NOTICIANDO 612
NOTICIANDO 609
NOTICIANDO 607
NOTICIANDO 606
NOTICIANDO 604
NOTICIANDO 569
NOTICIANDO 565
« voltar
sites / blogs